O que é HMI e HMD?

Você sabe o que é HMI e HMD?

Uma conhecida disse que quando passava férias em outra cidade, sua filha se queixou de dor no dente.

Ela correu para um Odontopediatra que recomendaram, achando que poderia ser cárie.

Esse colega disse que se tratava de HMI, porém ela havia ficou com algumas dúvidas.

A formação do esmalte é um processo complexo!

Durante este período, fatores genéticos, sistêmicos, ambientais e locais podem afetá-la, resultar em alterações do desenvolvimento do esmalte como a hipomineralização, a fluorose e a hipoplasia.

Esses defeitos podem acometer tanto a dentição decídua como a permanente e variam em tamanho, formato e cor.

HMI é a hipomineralização de molares e incisivos e HMD é a hipomineralização de molares e caninos decíduos.

Mas, vocês sabem o que é hipomineralização?

É um defeito qualitativo (alteração na translucidez do esmalte: opacidades que variam da cor branca à marrom).

E qual são as implicações clínicas dessa alteração?

  • Riscos de hipersensibilidade
  • Fraturas de esmalte
  • Incidência de cárie

Como há um período de coincidência entre a mineralização dos segundos molares decíduos e os primeiros molares permanentes, a presença de HMD é considerada como um preditor da HMI.

Sendo assim, essa criança deve fazer um controle mais próximo no odontopediatra.


Fluorose

É um problema meramente estético, origina-se da exposição do germe dentário, durante o processo de formação a altas concentrações  de íons flúor.

Uma dose muito alta pode causar pigmentação marrom, com manchas brancas e hipomineralização superficial, em dentes homólogos, até o ponto em que o esmalte se torna muito poroso e altamente manchado. 

Além da dosagem de flúor, outros fatores interferem na severidade da doença:

  • baixo peso corporal
  • taxa de crescimento esquelético
  • períodos de remodelamento ósseo constituem-se fases de maior absorção do flúor
  • estado nutricional
  • altitude
  • alterações da atividade renal e da homeostase do cálcio também são fatores relevantes

A observação das características clínicas com finalidades de diagnóstico deve ser realizada com boa iluminação, após profilaxia e secagem prévia dos dentes.

Um dos fatores para diferenciar o diagnóstico de fluorose e defeitos de esmalte, é observar se as alterações estão em dentes homólogos (dentes correspondentes de um lado e outro da arcada).

A forma mais comum de fluorose é a leve….

A literatura relata várias formas de tratamento clínico do esmalte comprometido por fluorose, entre eles, técnicas mais invasivas, como:

  • coroas protéticas
  • facetas estéticas,

E menos invasivas, como:

  • as técnicas de clareamento dental
  • microabrasão de esmalte, a qual não causa nenhum desconforto trans e pós-operatório aos pacientes a ela submetida. 

Nos casos de fluorose leve, que são as formas mais prevalentes, como acima citado,  o tratamento mais indicado é a combinação das técnicas de microabrasão de esmalte e clareamento dental, por serem considerados os tratamentos menos invasivos já fundamentados na literatura.

E hipoplasia, o que é?

É um defeito quantitativo. Esmalte com espessura reduzida ou defeitos em forma de sulco, pequenas cavidades ou a inexistência parcial ou total do esmalte.

Pode ser generalizada, com todos os dentes ou vários grupos de dentes envolvidos ou localizada, com um dente ou um grupo de dentes adjacentes.

Desse tipo de defeito faz parte a Amelogênese Imperfeita Hipoplásica e a Hipoplasia de Turner.

É muito comum os pais chegarem no consultório e falarem que o dente já nasceu cariado, porém por serem leigos nesse assunto, confundem esses defeitos com a doença cárie, por em algumas vezes formarem cavidades e possuirem uma coloração que também faz lembrá-la.

Meu intuito é tentar passar uma informação útil e didática,  para que conheçam várias alterações  que possam ocorrer na dentição decídua e permanente de seus filhos…

Leia também: Selantes: Você sabe o que é?