Bater os dentes de leite: meu filho caiu, bateu os dentes e agora?

Bater os dentes de leite, é sempre assombroso para os pais. Às vezes, você está tranquilo em casa e em segundos, o cenário muda!

Seu filho bate os dentes de leite brincando na quadra do condomínio, sobe chorando com a boca saindo sangue.

Em primeiro lugar, você precisa manter a calma pra tomar conta da situação ou chamar outra pessoa que consiga fazer isso melhor.

Depois, é necessário limpar o ferimento pra poder tomar uma providência correta.

Feito isso, há a necessidade de contactar o odontopediatra, para que ele avalie então a lesão.

O dente de leite tem raiz. Em seu interior existe um canal por onde passam nervos e vasos.

Alguns traumas nos dentes de leite, podem causar o rompimento destes elementos.

Se não for realizado o tratamento de canal (endodontia), problemas nos dentes permanentes poderão ocorrer.

Estudos epidemiológicos tem descrito, que esses traumatismos na dentição decídua ocorre mais nos primeiros anos de vida, quando as crianças estão aprendendo a andar.

A extensão e gravidade das lesões estão diretamente relacionadas com:

  • intensidade
  • o tipo de impacto
  • a idade do indivíduo
  • o estágio de desenvolvimento dos dentes decíduos e permanentes

É necessário salientar:

  • A proximidade como germe do do dente permanente e o risco potencial de sequelas nos dentes sucessores;
  • O ciclo biológico e o processo de rizólise (reabsorção da raiz) dos decíduos
  • Capacidade de adaptação comportamental e cooperação da criança durante o atendimento.

O trauma de bater os dentes de leite pode deixar sequelas no permanente?

Sim, pode.

Todo dente de leite que sofre traumatismo precisa ter acompanhamento clínico e radiográfico pelo menos por 1 ano e 6 meses.

Além disso, o dente permanente está sendo formado bem perto desta raiz. Por isso, há risco deste ser atingido pela raiz do dente de leite devido ao trauma.

As lesões traumáticas podem resultar em fraturas e/ou deslocamentos do dente com rompimento e esmagamento dos tecidos de suporte como:

  • gengiva
  • osso
  • ligamento periodontal

As lesões no tecido dentário vão de trinca do esmalte até fratura de esmalte, dentina e exposição da polpa, pode também afetar coroa e raiz ou somente raiz.

Há também as lesões nos tecidos de sustentação:

  • concussão
  • subluxação até intrusão total do dente (dente entra todo dentro do osso)
  • avulsão (dente sai totalmente do alvéolo).

Nesses casos,  o reimplante não é indicado na dentição decídua. Mas, já no dente permanente, o reimplante não só é indicado, como tem que ser o mais rápido possível.

O monitoramento clínico e radiográfico é muito importante.

Vocês devem ficar cientes sobre possíveis complicações, sinais e sintomas que determinarão o prognóstico como:

  • Alteração de cor da coroa
  • Presença de fístula ou edema
  • Obliteração do canal radicular
  • Mobilidade dentária
  • Sintomatologia dolorosa
  • Reabsorção radicular inflamatória

Dentre as alterações que podemos observar na dentição sucessora  permanente diante de um trauma nos dentes de leite são: desde uma descoloração localizada no esmalte até o sequestro do germe dentário.

Se for feito esse acompanhamento, ciente de algumas dessas alterações na dentição permanente, as sequelas podem ser aguardadas de uma forma mais tranquila e segura para a saúde e desenvolvimento da criança.

Leia também: O que é HMI e HMD?